Contra o Santa Cruz, é hora de o Vasco se reinventar

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Jorginho precisa fazer um novo quebra-cabeça com as peças de sempre


Eis que, discretamente e sem que muita gente se aperceba do fato, o Vasco entra em campo hoje para sua segunda partida mais importante do ano (ou terceira, se contarmos que as finais do Estadual foram em dois jogos). Deve-se colocar a decisão da vaga para as oitavas de final da Copa do Brasil no seu devido lugar, principalmente pelo seu significado para o clube. Em um ano no qual disputamos mais uma vez a Série B, o único título digno da estatura do Vasco é a Copa do Brasil. Não figurar pelo menos entre os 16 melhores times da competição não é papel para um Gigante.


E para conseguir esse modestíssimo objetivo, precisaremos passar pelo Santa Cruz, nosso primeiro adversário da elite depois do Estadual. Mesmo não sendo o melhor exemplo que poderíamos pegar – pela sua classificação no Brasileiro e até por parecer privilegiar a Sul-Americana –, não deixará de ser uma amostra de força passar por um time da Série A.


Mas para passar pelo Santinha, precisaremos de algo que anda escasso para o nosso time: marcar gols. Se não sairmos do zero no Arruda, sairemos nós da competição. Precisamos de pelo menos um golzinho, nem que seja para levarmos a decisão para os pênaltis (caso soframos um gol também). A dúvida é quem vai resolver a carestia de bolas na rede que temos passado?


Sem Nenê, o jogador mais decisivo da equipe, a situação se torna mais complicada. Além de artilheiro, nosso camisa 10 é o principal articulador e autor da maioria das jogadas que terminam em gols do nosso time. Teremos Andrezinho, que sempre pode tirar um coelho da cartola, mas o resto não chega a empolgar no quesito definição. Jorge Henrique, Leandrão, Caio Monteiro, talvez Thalles... Nossos atacantes já deixaram clara sua dificuldade em marcar gols. 


Jorginho poderia ousar e colocar alguns dos garotos que foram bem contra o Luverdense. Não é possível que Evander não seja mais útil no meio de campo do que Jorge Henrique, ou mesmo Henrique, que não tem se destacado ofensivamente e não chega a fazer diferença no combate. A insistência com Madson e Marcelo Mattos também poderia ser revista, já que o primeiro não acerta nada e o segundo não vai além do estilo brucutu como volante. Nosso treinador deve escalar o mesmo time que ultimamente tem sido facilmente anulado por adversários de qualidade muito duvidosa. E o pior, sem poder contar com o craque da equipe.


Se isso é apenas pessimismo exagerado ou uma análise realista, caberá ao time mostrar. Apesar de tudo, acredito na nossa classificação - não porque podemos voltar subitamente a apresentar um futebol de qualidade (o que não fazemos há um bom tempo), mas porque nossos anfitriões também não são um bicho de sete cabeças. No final das contas, temos mais jogadores que podem desequilibrar a partida, e uma vitória ou mesmo um empate com mais de dois gols está longe de ser uma impossibilidade. Mas o Vasco precisará se reinventar em campo para conseguir a vaga. Caso contrário, dependerá apenas do peso da nossa armadura para avançar na competição.


Santa Cruz X Vasco (Copa do Brasil - 3a Fase )


Estádio do Arruda.


Horário: 21h45.


Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vitor, Neris, Wellington e Tiago Costa; Derey, Wellington Cézar, Leandrinho e Marcílio; Keno e Bruno Moraes. Técnico: Milton Mendes.


Vasco: Martin Silva; Madson, Jomar, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Henrique, Andrezinho e Jorge Henrique; Caio Monteiro (Thalles) e Leandrão. Técnico: Jorginho.


Arbitragem: Igor Junio Benevenuto. Auxiliares: Marcus Vinicius Gomes e Flavio Gomes Barroca.