Que venham as oitavas!

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Andrezinho, com um gol e uma assistência, foi um dos melhores em campo.


Jorginho surpreendeu na escalação do time que iria definir a vaga nas oitavas da Copa do Brasil contra o Santa Cruz. Precisando da vitória, armou uma equipe mais ofensiva, mantendo Andrezinho mais recuado e dando a titularidade para o Evander como meia mais avançado. Também deixou Julio dos Santos no banco e colocou Pikachu na meiuca.


Legal, mas não muito efetivo. O primeiro tempo foi muito brigado, mas futebol que é bom, pouca coisa. O que vimos foi um monte de faltas e poucas boas jogadas. Chances de gol, quase nenhuma. Dois chutes de fora da área, com Julio Cesar e Pikachu, e, como não poderia deixar de ser, uma bola parada (com uma pancada do Rodrigo em cobrança de falta que obrigou o goleiro adversário a fazer uma grande defesa).


Precisávamos fazer ao menos um gol e só tínhamos 45 minutos para conseguir isso. Talvez esse tenha sido o teor da conversa no intervalo. Porque o Vasco voltou melhor, ou pelo menos mais preciso: anulava os ataques do Santinha e partia para o ataque com mais consistência. E só precisamos de sete minutos para marcar o primeiro gol, com jogada do Julio Cesar na linha de fundo que chegou aos pés do Andrezinho para abrir o placar.


Em desvantagem, o Santa Cruz precisou atacar mais e os espaços apareceram. Mais uns dez minutos e ampliamos, com Evander fazendo boa jogada e tocando para Pikachu emendar um belo chute.


Com o 2 a 0 e a classificação bem encaminhada, o Vasco relaxou e sofremos um gol numa total desatenção do Madson. O Santa tentou pressionar, teve algumas chances, mas quem ampliou fomos nós, com um lançamento do Andrezinho para arrancada do Jorge Henrique, que contou com uma providencial falha do goleiro adversário. Ainda sofremos outro gol, já aos 48 e em outra cochilada bizarra da defesa. Mas não havia mais tempo para uma reação dos donos da casa.


A classificação já teria valido por tudo, mas há outros motivos para comemorarmos. Se não chegamos a fazer uma partida exemplar, pelo menos mostramos o empenho necessário para reverter um placar que não nos era favorável, jogando na casa do adversário e, melhor ainda, vencendo. Chegamos às oitavas de final, e isso é apenas o começo das dificuldades na Copa do Brasil. Somos um dos azarões, é fato. Mas com a entrega que mostramos hoje e se os reforços que pintarem renderem, é bom que os chamados favoritos não facilitem conosco.



As atuações….


Martin Silva – só precisou fazer uma defesa mais complicada. Não podia fazer nada nos gols


Madson – perdeu um gol feito e falhou canhestramente no primeiro gol do Santa Cruz. Fora isso, os cruzamentos constrangedores de sempre. Se dessa vez não amargar um tempinho no banco, não há nada que o tire dos titulares.


Jomar – uma boa atuação, quase comprometida por uma falha ainda no primeiro tempo.


Rodrigo – quase marcou um gol de falta e ao evitar um chute que fatalmente terminaria na rede ainda salvou a pele do Jomar. Mas falhou no segundo gol do Santa, quando ficou plantado no chão vendo um adversário cabecear livre pro gol.


Júlio César – quase marcou um golaço em chute de fora da área e foi bem na marcação.


Marcelo Mattos – faltas, faltas e mais faltas. Saiu no intervalo para a entrada do Diguinho, que também cometeu falta, mas pelo menos acertou um bom lançamento para o Madson. Que obviamente desperdiçou o lance.


Andrezinho – um gol e uma assistência. Ou seja: uma daquelas atuações que provam que há vida inteligente no time sem Nenê.


Yago Pikachu – parece ter desencantado: mesmo jogando no meio conseguiu aparecer com destaque, fazendo boas jogadas e marcando seu segundo gol seguido. Deu lugar ao Julio dos Santos que entrou para fechar mais o meio de campo quando o jogo parecia decidido.


Evander – vinha tendo uma atuação discreta até fazer a jogada que originou o segundo gol do Vasco. William entrou em seu lugar para fechar de vez o time quando o jogo estava 2 a 1.


Jorge Henrique – vinha jogando mais pelo meio que no ataque, cumprindo aquela missão misteriosa que só o Jorginho consegue enxergar. Mas merece elogios pela arrancada nos minutos finais e no gol meio cagado que nos garantiu a vitória.


Thalles - negócio de gol não é muito com ele, mas é bem mais participativo que o Leandrão. Apesar disso, com a chegada de dois atacantes, dificilmente se manterá como titular.