Vasco x Paraná: os riscos de 'bater em bêbado'

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Giovanni Augusto deve ser o principal responsável pela articulação do Vasco hoje, contra o Paraná


Por ser o lanterna da Brasileiro, o Paraná Clube - adversário do Vasco de logo mais, na Colina – pode parecer o adversário ideal para o Vasco conseguir um pouco de paz nos próximos dias. E é óbvio que, nesse momento do time do Zé Ricardo, é muito melhor um confronto com o último colocado que encarara um adversário no topo da tabela.


Mas é preciso ver o outro lado da questão. Jogando em casa, contra um time que não conseguiu nenhuma vitória em sete rodadas, não há como negar que a pressão pelos três pontos será enorme para o Vasco. Diante de uma torcida naturalmente pouco paciente, qualquer resultado diferente de uma vitória será catastrófico. E pior ainda, por ser uma partida estilo “bater em bêbado”, mesmo vencendo a pressão sobre o treinador e seus comandados pode não ter um alívio.


E qual é a melhor receita para vencer o Paraná? Com relação à postura, é fácil: o time não pode se afobar e precisa manter a pressão no lado do visitante, que necessita bem mais de uma vitória. Não cair na pilha da torcida, que certamente não vai esperar muito tempo por um gol, também é importante.


Já com relação ao time, a coisa fica mais complicada. Ainda com um monte de desfalques, Zé Ricardo fez tantas experiências que só após a confirmação do time que poderemos ter a certeza dos titulares (vi pelo menos TRÊS escalações em veículos diferentes). O que parece certo é que o time terá mais garotos da base. E um ou outro daqueles que já esgotaram as chances com os vascaínos.


O tempo da “boa campanha mesmo com um jogo a menos” já se foi. Se o Vasco quiser chegar à parada para a Copa do Mundo numa boa posição, é preciso voltar a vencer. E de preferência hoje. Se mais uma vez ressuscitarmos um defunto no Brasileirão, quem vai morrer de vez é a paciência da torcida.



VASCO X PARANÁ


Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)


Horário: 19h30(de Brasília)


Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)


Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e José Eduardo Calza (RS)


VASCO: Fernando Miguel, Luiz Gustavo, Breno, Werley (Ricardo) e Henrique (Ramon); Bruno Cosendey (Fabrício), Andrey, Giovanni Augusto; Yago Pikachu (Caio Monteiro), Andrés Ríos e Duvier Riascos (Paulo Vitor). Técnico: Zé Ricardo.


PARANÁ: Thiago Rodrigues, Júnior, Neris, Cleber Reis e Mansur; Leandro Vilela, Torito, Jhonny Lucas e Caio Henrique; Silvinho e Carlos. Técnico: Rogério Micale.