Para o Vasco, a hora da vitória fora de casa é agora

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Rios e López: contra o Paraná, a dupla argentina tem a missão de levar o Vasco à sua primeira vitória fora de casa


Enquanto escrevo este post (21h10 da noite de domingo), a vitória do Ceará sobre a Chape empurrou o Vasco novamente para o Z4. Apesar disso, podemos dizer que o resto da rodada foi excelente, já que apenas o Vozão venceu. Nem os outros que estavam abaixo de nós conseguiram nos ultrapassar, nem os imediatamente à nossa frente se afastaram. Para terminar a 27a rodada fora da zona de rebaixamento, o time de Alberto Valentim depende apenas dos seus próprios esforços contra o Paraná.


E já está mais que na hora do Vasco fazer a sua parte nesta competição. E se o time não vencer sua primeira partida fora de casa hoje, contra um time que consegue a proeza de ter 13 pontos a menos que nós, é de se perguntar que adversário teremos capacidade de superar longe de São Januário.


Porque não se trata apenas do lanterna absoluto e aparentemente definitivo do Brasileirão. Se trata de um Paraná que, além de apenas esperar o crivo matemático para decretar seu rebaixamento, ainda jogará desfigurado, com seis desfalques (incluindo aí TODA sua zaga titular).


Por conta da expulsão do Andrey, Valentim não poderia repetir a formação titular que jogou contra o Santos. A volta do Maxi López de suspensão também faria o treinador mudar a escalação do time. Só não se sabe se o abandono de três volantes é uma decisão tomada diante da fragilidade do tricolor paranaense ou por falta de opção no elenco. Seja como for, é bom que Cosendey e Maranhão estejam mais atentos que na última partida, já que o meio de campo terá um jogador a menos preocupado eminentemente com a marcação.


Mas não podemos esquecer que, especialmente nesta partida, mais importante que evitar os gols que possamos sofrer, é importante que façamos gols. No segundo tempo contra o Santos, a entrada de um atacante e um meia fez com que criássemos mais chances, chegássemos ao empate e, com um pouco mais de capricho, poderíamos inclusive virar a partida. Hoje o time já deve entrar desta forma, com Giovanni Augusto no meio e Maxi López ao lado do Rios. A dupla portenha, o meia irregular e o lateral artilheiro terão a missão primordial do time: criar chances e marcar gols.


O Paraná não vence uma partida desde 20 de julho e mesmo em casa, o máximo que conseguiu desde então foram três empates no Durival Britto. Ainda que se deva respeitar qualquer adversário que tenhamos, é difícil não pensar que, se há um oponente ideal para que o Vasco consiga sua primeira vitória fora de casa, esse é o tricolor paranaense. Até porque, é como falei no início do post: se não vencermos o Paraná nos seus domínios, que outro adversários conseguiremos vencer?


PARANÁ X VASCO


Local: Durival Britto


Horário: 20h (Brasília)


Arbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)


Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (FIFA-SP)


PARANÁ: Richard; Wesley Dias, Cléber Reis, Jesiel e Mansur; Leandro Vilela, Alex Santana e Caio Henrique; Silvinho, Deivid e Ortigoza. Técnico: Claudinei Oliveira.


VASCO: Martín Silva; Rafael Galhardo, Leandro Castan, Luiz Gustavo e Ramon; Willian Maranhão, Bruno Cosendey, Yago Pikachu, Giovanni Augusto e Andrés Ríos; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim.