Com apoio da torcida, Vasco bate São Paulo

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Andrey abriu o caminho para a vitória que praticamente garante o Vasco na elite no ano que vem


Há quem desconfie que o Vasco gosta de maltratar seus torcedores. E quem viu a vitória vascaína sobre o São Paulo por 2 a 0, em São Januário agora pode dizer que tem certeza.


Não que o time tenha jogado mal. A questão é que na maioria das vezes, ESTE Vasco só consegue fazer o que é possível, e dada as limitações do elenco (e porque não dizer, do seu treinador), ser um time esforçado é tudo o que podemos esperar.


www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Máxi e Pikachu comemoram assistência de um e gol do outro


No primeiro tempo, mesmo fazendo frente ou até sendo melhor que nosso adversário, ficava clara a disparidade de qualidade e organização das duas equipes. A única maneira de compensar essa diferença era traduzir o apoio das arquibancadas em dedicação dentro de campo. E com a força dos vascaínos que mais uma vez lotaram sua casa, o Vasco conseguiu fazer um jogo nivelado com o tricolor paulista. O gol do Andrey, em um chute de fora da área logo aos 18 minutos, facilitou as coisas, já que o São Paulo precisou ser mais ofensivo e acabou nos cedendo espaços.


O primeiro tempo acabou sem alteração no placar e o segundo tempo mostrou uma mudança de comportamento do time do Fernando Miranda (lembrando que Alberto Valentim estava suspenso). Recuado demais, o Vasco passou a chamar o São Paulo para o seu campo e parecia questão de tempo até ver a diferença pelo placar mínimo desaparecer. Enquanto sofríamos com as finalizações perigosas do nosso oponente, parecia que apenas esperar o tempo passar e torcer para que apito final viesse logo era tudo o que o Vasco podia fazer.


E como todo vascaíno já aprendeu nesse campeonato, as chances de nos darmos mal só acabam mesmo com o fim do jogo. E mais uma vez, QUASE vimos o Vasco deixar a vitória escapar nos minutos finais, o que só não aconteceu graças a uma defesa milagrosa do Fernando Miguel. A prova de que a noite seria diferente veio minutos depois, com Pikachu marcando o segundo e garantindo a vitória com um gol nos acréscimos.


Os três pontos praticamente sacramentaram nossa permanência na primeira divisão em 2019. Mas o campeonato não acabou e ainda não é hora de relaxar. Nos restam dois jogos e conquistar mais alguns pontos é importante para eliminarmos matematicamente qualquer risco de descenso, inclusive contra adversários mais capacitados. O jogo de ontem mostrou que quando o time e a torcida do Vasco estão unidos, tudo é possível. Inclusive resolver essa parada já no próximo domingo, contra o líder Palmeiras.



As atuações…


Fernando Miguel – com sorte em alguns momentos e mostrando grande reflexo em outros, podemos colocar sobre os ombros do Miguel uma grande parcela de responsabilidade pela vitória: aos 43 minutos do segundo tempo fez uma defesa espetacular em cabeçada mortal. Garantiu os três pontos nesse momento.


Luiz Gustavo – mesmo que sua lateral tenha sido bastante utilizada como caminho para o tricolor chegar ao ataque, se deu a melhor contra os atacantes adversários (ainda que tenha feito isso à base de carrinhos e bicões).


Werley – enquanto resistiu em campo se saiu bem, principalmente cortando os cruzamentos do São Paulo. Sentiu no segundo tempo e deu lugar ao Henriquez, que não chegou a comprometer e até marcou um gol, anulado por ter cometido falta no lance.


Leandro Castán – algumas vaciladas, mas nada que comprometesse. Compensou com sua liderança e ajudando a esfriar o jogo nos minutos finais.


Henrique – sendo a sombra do meia Helinho, que caiu sempre pela sua lateral com velocidade, não conseguiu ser presente no apoio.


Desábato – volta e meia foi envolvido pelo toque de bola do meio de campo paulista. Cansou e deu lugar ao Willian Maranhão, que renovou o gás da marcação pelo meio. Também apareceu tentando ajudar na frente, mas é aquilo: falta intimidade com a bola para fazer algo de útil.


Andrey – teria sido uma atuação discreta do garoto. Mas ao abrir o placar no começo do primeiro tempo com um belo chute colocado, Andrey acabou sendo decisivo na vitória.


Yago Pikachu – outro que vinha tendo uma atuação apagada, sendo tímido no ataque e não acertando as oportunidades que teve para mandar a bola para área. O gol nos acréscimos, que garantiu a tranquilidade do time, da torcida – e se tudo der certo – no restante do Brasileiro, redimiu sua participação no jogo.


Thiago Galhardo – mostrou mais disposição e conseguiu criar boas jogadas, principalmente quando optava pela velocidade nos lances. Iniciou a jogada do segundo gol roubando uma bola no meio de campo.


Kelvin – não se omitiu no jogo e até incomodou a defesa adversária. Mas erra quase tudo que tenta. Caio Monteiro o substituiu, mas no único lance em que poderia ter feito a diferença, se enrolou e acabou desabando sozinho na área.


Maxi López – é de se pensar em como poderia ajudar o time se fosse mais acionado. Mesmo isolado no ataque durante boa parte da partida, foi mais uma vez decisivo, deixando o Pikachu na cara do gol com uma assistência perfeita.