Vasco não passa do empate em jogo-treino contra o Bragantino. E daí?

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Moresche escapa da marcação do Bragantino: o jovem atacante marcou o gol de empate no jogo treino contra a equipe paulista


"Oh, meu Deus! O Vasco já começou o ano empatando com time de Série B! Vamos cair!"


Não duvido que muitos vascaínos tenham pensado algo parecido depois do empate em 1 a 1 no jogo treino contra o Bragantino, em Atibaia. Mas, na real, o que pode significar um resultado como esse logo no primeiro teste do time do Valentim?


Nada. Exatamente porque é um primeiro teste.


Os caras acabaram de voltar de férias, estão sem ritmo, muitos provavelmente acima do peso, isso se ainda não estiverem sentido os efeitos das festas de fim de ano. Quem, em sã consciência, espera que os caras estejam transbordando de motivação na segunda semana do ano? Em um jogo treino? Contra o Bragantino? Debaixo de um sol subsaariano? Complicado, né?


É sintomático que, nos três tempos que teve a partida, não tenhamos conseguido marcar gols com as formações que teoricamente contavam com mais titulares e que o gol de empate tenha sido feito pelo Moresche. É fácil entender que só mesmo a molecada encararia com toda disposição uma partida como essa.


O próprio Valentim relativizou a importância da atividade, lembrando que era um complemento do treino feito pela manhã e que quis mesclar os mais jovens com os mais experientes (deixando claro que nenhuma das três formações utilizadas será necessariamente mais titular que as outras). Ou seja, a partida contra o Bragantino não passou de um coletivo um pouco mais disputado. 


E sendo quase um coletivo, a importância do empate é nula. Ou alguém aí acompanha os treinos do Vasco e lamenta quando os reservas empatam com os titulares?


O fato é que ainda não dá pra ter qualquer ideia do que esperar do Vasco esse ano. O técnico-galã pode fazer com que sua equipe renda ou não. Mas não será esse empate que trará qualquer elemento para maiores ou menores desesperos.