Se o Flu faz papelão fora do campo, que o Vasco brilhe com a bola rolando

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Flu pode espernear, mas as arquibancadas sabem qual lugar é o do Vasco por direito


Como quase tudo que envolve uma competição organizada pela FERJ, a final da Taça Guanabara entre Vasco e Fluminense já começa com polêmica. Nesse caso, uma polêmica velha, que data da destruição do antigo Maracanã (o verdadeiro Maraca) e sua substituição pela atual Arena Maracanã: a briga pelas arquibancadas do lado sul do estádio.


Em 2014, em outro espaço, já tinha dado minha opinião sobre o assunto:


Possa esse novo Mário Filho ser chamado de Maracanã ou não – pessoalmente não considero aquele estádio genérico o velho Maraca de guerra – o Vasco conquistou o direito de escolher o lado em que sua torcida ficaria no estádio localizado na Avenida Presidente Castelo Branco. O consórcio que administra a Arena e o clube do laranjal ignoraram a história? O erro foi deles. A lógica do dinheiro não pode, ou não poderia, ficar acima do que é justo. O Vasco está no lado certo nessa questão


Continuo pensando da mesma forma. E se os tricolores têm como argumento seu contrato com a concessionária, deveria levar em consideração a cláusula que diz que a torcida tricolor, pode sim ser alocada em outro setor do estádio caso não seja o mandante do jogo, o que é o caso nessa final.


Reprodução
Reprodução

Consórcio deixa claro que toda a confusão poderia ter sido evitada se a diretoria tricolor tivesse bom senso


Ou seja: se existe o grande risco de uma final de Taça Guanabara acontecer com portões fechados, é por conta da intransigência e orgulho infantil da diretoria tricolor. Diretoria essa que ainda se destacou por declarações desastrosas, como “Se tiver morte, a responsabilidade é das pessoas que produziram essa aberração” e convocações da torcida para “guerra.


E no campo, que é o que importa? O Flu pode muito bem fazer um papel mais decente que sua diretoria, já que vem jogando bem e vem com moral depois de ter eliminado o Flamengo. E, mesmo no clássico em que perdeu para o Vasco, poderia ter tido sorte melhor.


Mas já que o lado de lá preferiu fazer vexame, cabe ao Vasco dar algum brilho à final. De preferência, ganhando o jogo, levando a taça e confirmando os 100% de aproveitamento no primeiro turno. Independente da contumaz freguesia tricolor, pelo que foi visto com a bola rolando, esse será o desfecho mais justo para essa Taça Guanabara. Principalmente depois desse papelão promovido pelo nosso adversário.



VASCO X FLUMINENSE


Local: Arena Maracanã


Horário: 17h (Brasília)


Árbitro: Bruno Arleu de Araújo


Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Luiz Cláudio Rezagone


VASCO: Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Castan, Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro; Pikachu, Bruno César, Marrony; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim


FLUMINENSE: Rodolfo; Ezequiel, Digão, Matheus Ferraz e Marlon; Airton, Bruno Silva e Daniel; Everaldo, Luciano e Yony Gonzalez. Técnico: Fernando Diniz.