Ricardo David: o que esperar do novo presidente do Vitória?

A data de 13 de dezembro de 2017 ficará para sempre como o "dia da democracia rubro-negra". Foi nesta data que os sócios-torcedores foram às urnas e elegeram Ricardo David como novo presidente, em uma ação democratica inédita no clube.




Antes de mais nada, reforço que não apoiei nenhum candidato nesta eleição. Porém, quero lembrar ao torcedor que todo apoio nesse momento é válido. Independente de quem foi seu candidato, é importante para o clube que Ricardo David faça uma boa gestão. O Vitória vem sofrendo seguidamente de gestões desastrosas e é preciso se reerguer como instituição esportiva dentro do cenário nacional. Desde 2013 não temos uma boa temporada.


Desafíos de Ricardo David


Flickr EC Vitória/ Maurícia da Matta
Flickr EC Vitória/ Maurícia da Matta

Após resultado, Ricardo David abraça Chico Salles, vice-presidente também eleito


O novo presidente terá missões importantes praticamente em todas as áreas. A principal delas será fazer o torcedor do Vitória voltar a sorrir. Para isso, será preciso restruturar financeiramente o clube após a desastrosa gestão de Ivã de Almeida e sua equipe. Terá também que dialogar com uma oposição ferida e que tanto atrapalhou e minou a gestão anterior. É preciso afastar de vez as pessoas que só querem o mal do Vitória.


A profissionalização do departamento de futebol foi a principal bandeira de David, e Erasmo Damiani foi o escolhido para ajudá-lo nessa missão. O ex-coordenador de base da CBF será o executivo de futebol do clube e terá que formar uma equipe composta por um Gestor de futebol e um Gestor da divisões de base para auxiliá-lo. Pelo menos foi isso que me garantiu em entrevista aqui pro blog. A equipe terá que trabalhar rapidamente, pois o Vitória estreia no Campeonato Baiano de 2018 no dia 17 de janeiro. 


Momentos após o fim da eleição, Ricardo já garantiu a permanência de Vagner Mancini no comando do clube e afirmou que as saídas de Trellez e David não serão prioridades no momento.


Não podemos esquecer a promessa de profissionalizar setores importantes do clube como a Comunicação, Planejamento, Esportes Olimpícos e Infraestrutura. 


Rejeição a velhos caciques


É importante ser claro: Paulo Carneiro perdeu pela segunda vez em um ano. É uma derrota política muito grande para o ex-presidente e que dá a tônica da sua rejeição com o sócio-torcedor. Alexi Portela e Adhemar Lemos, que apoiaram Manoel Matos, também saíram derrotados politicamente. Pela segunda vez a torcida preferiu apostar em um nome novo a ter velhos caciques de volta.


Democracia


Flickr EC Vitória/ Maurícia da Matta
Flickr EC Vitória/ Maurícia da Matta

Ricardo David comemorando a vitória da democracia


A grande vitoriosa da noite. O presidente foi eleito diretamente pelos sócios, como nunca ocorreu antes no clube. Acabou essa história de eleger uma chapa e a chapa eleger o presidente. Agora é pra valer. O sócio-torcedor tem responsabilidades na eleição da diretoria do clube que ama. Assim é a democracia, exercer o seu direito de escolha.


O Vitória não pertence mais a famílias, grupos e coligações. O Vitória é de sua torcida.


Viva a democracia!


SRN!

Me siga no twitter!