No 'Clássico da Paz', tivemos o Ba-Vi da vergonha

Passamos a semana inteira pedindo paz. Governo, Federação, Imprensa, Clubes. Todos buscavam a civilidade entre as torcidas que voltavam a se encontrar depois de um 2017 de clássicos de torcida única. Quem ficou fora de todos esses pedidos foram os principais atores do dia: os jogadores.


Redes sociais são utilizadas por atletas para manter a interação com sua torcida. Mas não fica só ai. Alguns atletas ultrapassam a linha do bom senso e desrespeitam companheiros, instituições e torcidas rivais. Vinicius, atleta do Bahia, fez isso. Inflamou e provocou. Mas isso NÃO DEVERIA ser motivo de caso em campo se tivéssemos no futebol atletas com maior capacidade de controle emocional. Ficou marcado.


O jogo começou truncado com as duas equipes chegando apenas de bola parada. Em uma delas, o rival obrigou Fernando Miguel a fazer uma boa defesa. Minutos seguintes, Kanu perdeu boa chance de abrir o placar. Logo depois, em boa jogada de Rhaynner, Denilson abriu o placar com um tirambaço. O Vitória era melhor em campo e agora superior no placar.


Maurícia da Matta/ EC Vitória
Maurícia da Matta/ EC Vitória

Denilson fez o gol do Vitória no jogo


Na volta para o segundo tempo, aos 4 minutos do segundo tempo, o rival achou um pênalti infantil cometido por Uilian Correia. Vinicius fez o gol de empate, se dirigiu a torcida do Vitória e fez sua habitual "dancinha" sem graça. Mas fez mais. Após isso, saiu correndo atrás do gol com os olhos pra torcida (ele diz que foi para a câmera) falando "eu sou p*#%" e "e mando aqui". Exagerou, desrespeitou e merecia ser duramente punido pelo árbitro. Ponto final.


Fernando Miguel é um goleiro que questiono sua qualidade técnica há muito tempo. Agora ficou claro também seu descontrole. Ele começou tudo. Deu uma bronca em Vinicius e a confusão foi instaurada. Foi uma briga generalizada e um festival de agressões. Não teve mocinho no Barradão. Edson, Rhaynner, Yago, Kanu, Rodrigo Becão. Todos culpados e envolvidos diretamente em cenas lamentáveis que merecem punição. Chega de passar a mão leve em jogador de futebol que prejudica o clube.


Não adianta passarmos a semana inteira pedimos paz entre as torcidas se o espelho são jogadores que em campo se comportam como animais na primeira oportunidade. Desrespeitam e agridem irmãs, mães, companheiros de profissão e clubes. São um reflexo de uma parte da sociedade que ainda aplaude esse tipo de comportamento. Não dá para aceitar. O descontrole tomou conta de todos. Mas não foi só hoje. Isso ocorreu também em 2016 e 2017.


Maurícia da Matta/ EC Vitória
Maurícia da Matta/ EC Vitória

Sentimento de VERGONHA pela confusão protagonizada no Ba-Vi


O Vitória teve 3 jogadores expulsos na confusão, o Bahia dois. No decorrer do jogo, Uillian Correia e Bruno também foram expulsos, o que forçou o árbitro a encerrar a partida porque o Vitória não tinha atletas suficientes em campo. Se Bruno forçou ou não sua expulsão, acho irrelevante perto da selvageria e irresponsabilidades dentro de campo. O futebol tem e deve ter provocações mas não pode ir pra linha do desrespeito, principalmente entre companheiros de profissões. Deixem isso para a torcida. Sejam atletas, profissionais do esporte e não meninos que bricam de jogar bola.


SRN!